Conciso

Por entre esses mundos

De infertilidade intelectual

Nem tudo se encaixa

Na cruzada factual da busca

Sabedoria, e sem saber criaram

Dois mundos,

pena é que na verdade,

um mundo haja só

Sem olhar

Sem notar

Vejo como bonita és

Para notar não é preciso olhar

E reparar,

olhar não é preciso

Fez-se do caminho,

ele é conciso

Com todo o seu carinho

direito ao destino

 

Anúncios

Vedação

Os intensos debates, que

contigo mesmo travas.

Sem vencedores, mesmo com o gladiador

Imersivo na análise, lutador no quotidiano

Esperas pelo rebentar da onda na costa

Nunca serás o culpado, não conseguiste lá chegar

Sucumbes pelo demónio pela noite

Levantas o anjo enquanto o sol brilha,

Lúcifer nunca te largou, ele leva-te a passear,

como o dono leva a passear o cão pelo jardim.

Jardim, com vedação, nunca a irás transpor.

 

 

20 anos de uma sociedade ligada às máquinas — MeloCrónicas

Já praticamente tudo se disse sobre OK Computer, a obra-mestra que os Radiohead lançaram no final da primavera de 1997, perante um mundo que parecia algures entre a ressaca do grunge, a histeria (des)interessada da britpop ou a curiosidade pelas crescentes tendências da música eletrónica. Também já sabemos como, ao terceiro disco, o quinteto de […]

via 20 anos de uma sociedade ligada às máquinas — MeloCrónicas

No lugar certo

Sem compreensão

Vi luz na minha sombra

Transmitido em todos os canais, o acontecimento

Tudo isto em proposição

A máquina não vai comunicar contigo

Tudo isso vais ter de engolir

Sem perdão, mandas as crianças primeiro

Depois as senhoras, todo o sistema é uma mentira

Somos só um número, pega o dinheiro e foge

Mergulha a tua alma em amor

De uma crise a outra, dos anos de Mitterrand aos anos de Hollande, da tragédia de outrora à farsa de agora. 4ª Parte: Os tempos do declínio de Hollande, os da farsa, os da transmissão do poder. Texto 4.12 – Da natureza do fascismo e do recurso ao argumento moral, por Claude Rochet — A Viagem dos Argonautas

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 4ª Parte: Os tempos do declínio de Hollande, os da farsa, os da transmissão do poder Texto 4.12 – Da natureza do fascismo e do recurso ao argumento moral Por Claude Rochet, 29 de abril de 2017 Uma campanha eleitoral é raramente um momento de elevação intelectual e […]

via De uma crise a outra, dos anos de Mitterrand aos anos de Hollande, da tragédia de outrora à farsa de agora. 4ª Parte: Os tempos do declínio de Hollande, os da farsa, os da transmissão do poder. Texto 4.12 – Da natureza do fascismo e do recurso ao argumento moral, por Claude Rochet — A Viagem dos Argonautas